Os primeiros robôs vivos


Cientistas norte-americanos acabam de criar os primeiros robôs vivos. Os “xenobots”, como são chamados, conseguem se mover, segurar algo (como por exemplo um medicamento que precisa ser transportado para um local específico dentro do corpo de um paciente) e até se autocurar, caso sejam, por exemplo, cortados.
Com menos de um milímetro de comprimento, os “xenobots” foram adaptados de células vivas de embriões de sapos – células estas que foram aglutinadas em formas de vida inteiramente novas. “São máquinas vivas, uma forma de vida completamente nova”, afirmou Joshua Bongard, que co-liderou essa pesquisa e que também é especialista em robótica na Universidade de Vermont (UVM). “Eles não são um robô destes tradicionais e nem uma espécie de animal. É uma nova classe de artefato: um organismo vivo e programável”. As novas criaturas foram projetadas por um “algoritmo evolutivo” que roda em um supercomputador na UVM – e depois montadas e testadas por biólogos da Universidade Tufts. O programa começa gerando configurações aleatórias em 3D, de 500 a 1.000 células da pele e do coração. Cada projeto é então testado em um ambiente virtual, para ver, por exemplo, quão distante consegue se mover quando as células cardíacas são ativadas. Os projetos com melhor desempenho são usados para gerar mais designs, os quais são colocados em prática. “Podemos imaginar muitas aplicações úteis desses robôs vivos que outras máquinas não podem fazer”, prevê Michael Levin, também co-líder da pesquisa e que dirige o Centro de Biologia Regenerativa e Desenvolvimento da Tufts, “como por exemplo rastrear uma contaminação radioativa, coletar microplásticos nos oceanos, ou viajar pelas artérias para remover placas de gordura.”

CATEGORIAS

POSTAGENS MAIS RECENTES


20 maio 2019 - 14:25

IMPRESSÃO 3D – Você sabe o que é?

+
2 maio 2019 - 14:57

INDUSTRIA 4.0 – A nova organização

+
6 agosto 2019 - 15:20

Tendências de Design para 2019

+
6 agosto 2019 - 15:36

Acrílico na Arquitetura

+
26 fevereiro 2020 - 12:16

7 buzzwords de tecnologia para você deixar de usar em 2020

+

PROJETOS RECENTES

SIGA NOSSO INSTAGRAM